Lauren Ridloff – The Walking Dead

Atenção: alerta vermelho de spoiler! Este post contém informações sobre a 9ª e a 10ª temporada da série The Walking Dead (TWD).

Na trama pós-apocalíptica protagonizada por um pequeno grupo de sobreviventes, uma surpresa: a partir da 9ª temporada, uma personagem de destaque – surda usuária da American Sign Language – se juntará ao elenco central. Eis Connie, interpretada pela atriz surda Lauren Ridloff.

Resgatada pela pequena Judith Grimes (filha de Rick Grimes), ao lado de seus amigos Magna, Yumiko e Luke e de sua irmã Kelly, Connie passa a morar na comunidade de Hilltop e a participar de várias incursões contra os “vilões” da série, ganhando espaço entre os personagens principais.

Por meio de Connie, a surdez é positivada em TWD, não sendo assumida como um impeditivo para a sobrevivência em um mundo tão hostil. Se sua audição não está disponível para lidar com as ameaças de uma realidade sanguinolenta, sua acuidade visual e sua sagacidade a tornam extremamente hábil para se safar e salvar seu grupo, combatendo corajosamente com o seu bodoque (atiradeira) os mortos e os vivos. Como diz a personagem: a surdez é um super-poder.

Walking Dead 01

Para além do deaf gain, a língua de sinais, mesmo que em diálogos específicos, é posta em cena, chamando a atenção de milhões de fãs e espectadores para esse tipo de comunicação. Ao seu redor, muitos personagens passam a aprender um vocabulário simples para interagir com ela, arriscando-se na American Sign Language (em uma cena, Daryl – um dos principais protagonistas de TWD – aparece com uma gramática de ASL no bolso). Quando os sinais não são compreendidos, Connie escreve em um pequeno caderno para se fazer entendida.

O que acontecerá com a sobrevivente/guerreira surda durante a décima temporada (spoiler!) tem deixado muitos fãs apreensivos, à espera de qualquer nova notícia.

Na “vida real”, sem zumbis ou sussurradores, Lauren Ridloff já brilhava no teatro antes de fazer parte do elenco de TWD (2018). Nesse mesmo ano, Ridloff foi indicada ao Tony Awards – uma das principais premiações do teatro norte-americano – como melhor atriz por sua participação na peça Children of a lesser God  / Filhos do Silêncio (assista a trechos, clique aqui).

Lauren Ridloff (Lauren Teruel) nasceu em 1978, em Chicago, em família de pais ouvintes. “Por um tempo, pensei que pessoas surdas não se tornavam adultas, porque eu nunca tinha visto qualquer surdo mais velho (…). Meu pai é mexicano e minha mãe é afro-americana – comigo, eles tiveram a intuição de que eu deveria ter um forte senso de identidade” (retirado de The Oprah Magazine). Enviaram-na, então, para estudar em Washington D.C., distante de sua casa.

Foi quando, no ensino médio, aproximou-se das comunidades surdas ao ingressar no Model Secondary School for the Deaf, na capital do país. Após o colégio, ingressou na California State University, onde se formou em Letras-Inglês. Em 2005, concluiu o mestrado em Educação e, como já fazia ao fim de sua graduação, continuou a atuar como professora, dessa vez em uma escola pública de Nova Iorque (nota: no início dos anos 2000, Lauren ganhou projeção entre as comunidades surdas dos EUA por vencer o Miss Deaf America, um dos principais concursos de beleza surda do continente).

Sua estréia na peça Children of a lesser God deu-se quase de maneira fortuita: para adentrar no mundo surdo, Kenny Leon, o diretor da peça, começou a ter aulas de Língua de Sinais Americana. Sua professora? Lauren Ridloff. Depois de um ano, Joshua Jackson, ator canadense, já estava escalado para o papel principal, mas ainda faltava encontrar uma atriz surda para contracenar com ele. Foi então que Kenny convidou sua professora de ASL para assumir o papel – e o retorno foi tão positivo que Lauren Ridloff foi indicada a diversos prêmios por sua atuação. No mesmo ano, a atriz já estava selecionada para participar das próximas temporadas de The Walking Dead.

Walking Dead 02

Em tempo: a irmã de Connie em TWD, Kelly, que atua como sua intérprete em tempo integral, é representada pela atriz Angel Theory. Após um acidente de carro, Angel começou a perder a audição, e essa condição (atenção, mais spoiler!) também foi transportada para a série: em The Walking Dead, Kelly se vê assustada por estar ensurdecendo. “Quando eu penso em minha história sendo representada por meio da Kelly, lágrimas caem dos meus olhos (lágrimas de felicidade!), porque isso me lembra o quanto Angela Kang (roteirista), os autores e a AMC confiaram em mim desde o começo”, diz Angel. “Eles poderiam ter escrito qualquer coisa que encontrassem no Google, mas, ao contrário, me consultaram e dedicaram tempo para entenderem as coisas boas, as coisas ruins e o que há nesse meio-termo” (retirado de Distractify).

Na cena abaixo, o espectador experimenta, em primeira pessoa, a surdez de Connie durante um ataque de zumbis (efeito até então inédito na série). Clique aqui e aqui para assistir a uma entrevista com Lauren Ridloff.

 
Walking Dead 03
 


Categoria: Performers 
País: Estados Unidos
Línguas: Inglês e American Sign Language (ASL)


 

Nyle DiMarco

Nos últimos meses, imagens de um belíssimo rapaz surdo inundaram as redes sociais. Entre suspiros, muitos e muitas se perguntavam: afinal, quem é esse modelo surdo que em tão pouco tempo ganhou tanta notoriedade mundo afora?

O galã, modelo-e-ator, chama-se Nyle DiMarco, tem 26 anos e é o vencedor da última edição (2015) da série America’s Next Top Model, um reality show (de moda e beleza) bastante popular nos Estados Unidos.

Filho de família surda (pais, avós e irmãos surdos), DiMarco lincenciou-se em Matemática pela Gallaudet University e, em sua trajetória como ator, atuou no filme “In the Can” (clique aqui para assistir ao trailer) e no seriado “Switched at Birth”.

Sua militância pela promoção das culturas surdas, embebida em sua figura (para muitos) estonteante, contribui não só para abrir novos espaços para profissionais surdos no mundo da moda como para garantir mais e mais visibilidade (suspiros…) para a causa surda nos meios de comunicação de massa.

 
Nyle DiMarco
 


Categoria: Performers / Modelos
País: Estados Unidos
Línguas: Inglês e American Sign Language (ASL)
Site oficial: http://www.nyledimarco.com


 

 

Fletch@

Traduzir e interpretar em língua de sinais músicas famosas, tornando-as acessíveis para o público surdo e promovendo a língua gestual nos circuitos culturais majoritários: eis o trabalho, já bastante conhecido, de Flecth@ (Jayne Fletcher), uma performer surda de Birmingham (Inglaterra).

Aos 14, Jayne integrava o “A Different Beat” – um coletivo de sete jovens surdos que apresentava canções sinalizadas por todo o Reino Unido – e, quando o grupo se desfez, seguiu carreira solo, assumindo o nome Flecth@ (fonte: DeafYou Video).

Com diversas participações em programas de TV, mostras, festivais, shows, etc., Fletch@ fomenta outras possibilidades de se fruir por meio da experiência visual canções do mainstream (para acessar o canal de vídeos da performer, clique aqui).

Abaixo, videomusic em Língua de Sinais Britânica (BSL) da música “Let her go”, da banda Passenger (para ver tradução, clique aqui).

 
Fletcha
 


Categoria: Performers
País: Reino Unido
Línguas: Inglês e British Sign Language (BSL)
Site oficial: http://signsong.org.uk


 

Vlad Grigoriev

Nascido na Rússia, o surdo Vlad Grigoriev licenciou-se pela St. Petersburg’s College of Arts e, enquanto dedicava-se ao tablado (em produções teatrais e esquetes de pantomima), trabalhou como designer gráfico.

Em meados da década de 1980, finalizou o mestrado em Teatro na Schukin University e, desde então, vem ganhando um grande reconhecimento como ator e instrutor de mímica, artes dramáticas e comunicação visual-gestual.

Suas apresentações, bem como os seus workshops (como, por exemplo, a oficina de expressão facial e linguagem corporal), já foram realizadas para públicos surdos e ouvintes em uma série de países: Rússia, Estados Unidos, Canadá, Dinamarca, Holanda, Alemanha, Finlândia, Reino Unido, Espanha, Taiwan, etc.

Para saber mais, visite o site oficial de Vlad!, clique aqui.

 
Vlad Grigoriev
 


Categoria: Performers
País: Rússia
Línguas: RussoRusskiy zhestovyi yazyk (Língua de Sinais Russa)
Site oficial: http://www.vladshow.biz


 

 

Marlee Matlin

De todas as celebridades surdas, Marlee Matlin talvez seja uma das mais conhecidas hoje. Em 1987, a norte-americana venceu o Oscar de melhor atriz pela participação no filme “Children of a lesser God” (“Filhos do silêncio”, em tradução brasileira e “Filhos de um Deus menor”, na versão portuguesa), superando Jane Fonda, Kathleen Turner, Sissy Spacek e Sigourney Weaver, que também concorriam ao prêmio.

Um ano antes, aos 20, Matlin ganhara o Globo de Ouro por seu trabalho, sagrando-se a mais jovem atriz a conquistá-lo. Nas duas premiações, como não poderia deixar de ser, fez seu discurso de agradecimento em American Sign Language.

Além de “Filhos do Silêncio”, a atriz atuou em outros (vários) filmes e séries que abordam o tema da surdez, como “Sweet Nothing in my Ear” (“Nada que eu ouça”, que retrata o dilema do implante coclear) e, mais recentemente, a série “Switched at Birth”.

Com aparições em programas de TVs, festivais e eventos, Matlin – surda sinalizadora que partilha das comunidades e culturas surdas – dá ainda mais visibilidade para as causas e lutas Surdas, reafirmando-as e promovendo-as na grande mídia. Com toda a sua popularidade, a artista faz reverberar, assim, as delícias e os prazeres de ser Surdo.

Abaixo, vídeo da premiação do Golden Globe – Globo de Ouro de 1987 (para assistir à premiação do Oscar de 1987, clique aqui). Para ver mais vídeos e fotos da atriz, acesse seu site oficial (clique aqui).

 
Marlee Matlin
 


Categoria: Performers
País: Estados Unidos
Línguas: Inglês e American Sign Language (ASL)
Site oficial: http://www.marleematlinsite.com