Talking Hands

No Talking Hands – Sign & Dine (Mãos Falantes, em tradução livre), um espaçoso restaurante em Hyderabad, Índia, as culturas surdas se exibem – graciosamente – por todos os ambientes.

Sobre as mesas, cards de cartolina informam os sinais de diferentes pedidos: café, manteiga, pão, comida chinesa etc. Em cardápios, paredes e jogos americanos, ilustrações da Língua de Sinais Indiana também ganham destaque, ensinando aos clientes o alfabeto manual e um sinalário básico da língua.

Quem se interessa por Arte Surda logo reconhecerá no salão principal a famosa pintura “Understanding Deaf Culture” (“Entendendo a Cultura Surda”), ao lado de outras obras de Nancy Rourke, uma das mais proeminentes artistas De’VIA da atualidade.

No restaurante administrado pela Deaf Enabled Foundation, uma fundação local que atua em defesa das comunidades surdas, para além da ambientação, todos os funcionários são surdos – o que o destaca não apenas como “deaf friendly” mas também como “deaf owned” (mantido/gerido por surdos).

Ali, a surdidade é afirmada como bandeira política, e não somente como diferencial de mercado, que por vezes reforça o cariz assistencialista e caritativo no trato com empregados surdos. “Ser Surdo é uma identidade cultural, não apenas uma questão de perda auditiva”, avisa uma placa na entrada, ao lado de outra que ressalta: “os sinais são para os olhos o que as palavras são para os ouvidos”.

Entre pratos vegetarianos e não-vegetarianos, o orgulho surdo segue a encantar aqueles que frequentam a casa. Assista a vídeos sobre o Talking Hands Restaurant, clique aqui, aqui e aqui. Para acessar a página do projeto no Facebook, clique aqui.

 
Talking Hands (1)

 


Categoria: Bares e Restaurantes
País: Índia
Línguas: Hindi e Indian Sign Language (ISL)
Site oficial: http://talkinghandsrestaurant.com


 
 

Echoes

Ao entrar no Café Echoes, em Nova Delhi ou Bangalore, o cliente logo ganha um cartão com a frase: “coma, engaje-se e se energize com o café gerido por uma equipe diferentemente eficiente”. Ao observar que, no salão, funcionários conversam em língua de sinais, o aviso se evidencia: por ali trabalham surdos e surdas, e a comunicação se torna possível por meios não convencionais.

Para  chamar os garçons, por exemplo, basta acionar um dos interruptores espalhados pelo local, que de imediato uma luminária com o número da mesa correspondente se acenderá no balcão, alertando o chamado. Além disso, cards com palavras-chave como “garfo”, “faca”, “cardápio”, “conta”, “por favor”, “obrigado” etc. são usados como apoio, enquanto formulários permitem que o pedido seja feito por escrito.

No ambiente moderno e descolado do Café Echoes, fundado por Kshitij Behl e Shivansh Kanwar na Índia, as culturas surdas ganham enorme destaque entre decorações, pratos e bebidas de diferentes países do mundo.

Para assistir a vídeos sobre o Café Echoes, clique aqui ou aqui .

 
Cafe Echoes
 


Categoria: Bares e Restaurantes
País: Índia
Línguas: Hindi e Indian Sign Language (ISL)
Site oficial: http://www.echoes.stargazer.co.in


 
 

Mirchi&Mime

Ao pé do lago Powai, em um trecho arborizado da maior e mais importante cidade da Índia, o restaurante Mirchi&Mime vem chamando a atenção de muitos, sobretudo por conta de sua equipe de funcionários: no local, trabalham cerca de vinte e cinco surdos, todos falantes da Língua de Sinais Indiana (ISL). “Percebemos que podemos trabalhar com eles pois suas habilidades são muito relevantes para nós (…). Contratamo-los, então, por suas habilidades, e não por suas deficiências. Eles têm os atributos certos, como a simpatia, o foco, a intuição… e é isso o que mais precisamos no setor hospitaleiro”, diz Prashant Issar, sócio-fundador e um dos principais responsáveis pelo empreendimento.

Estampada nos uniformes de todo o staff, a simpática pergunta “eu sei língua de sinais, qual é o seu super poder?” convida o cliente a experimentar um novo meio de comunicação – e para auxiliar aqueles não familiarizados com a ISL, alguns sinais referentes a saudações, pratos e bebidas estão ilustrados no cardápio, além de serem ensinados pelos próprios garçons.

Depois do Mirchi&Mime, o bar-irmão Madeira&Mime foi aberto nos arredores, na região norte de Mumbai, com quase trinta funcionários surdos. Os planos de expansão desse projeto, no entanto, não param por aí: de acordo com Issar, a intenção é contratar mais de 500 surdos em 21 filiais espalhadas por todo o país.

Que o tempo traga aos indianos o sucesso desse objetivo!

Para visitar o site oficial do Mirchi&Mime, clique aqui; para acessar a página da rede no Facebook, clique aqui. Confira matérias sobre o restaurante nos vídeos a seguir – vídeo 01vídeo 02, vídeo 03.

 
Mirchi Mime
 


Categoria: Bares e Restaurantes
País: Índia
Línguas: Hindi e Indian Sign Language (ISL)
Site oficial: http://mirchiandmime.com


 
 

Palash Muchhal

Aos 21 anos, Palash Muchhal é conhecido como o mais jovem compositor de Bollywood, a indústria cinematografia de Bombaim (que, como uma Hollywood indiana, alimenta boa parte do mercado de filmes do país). Para o videoclipe da canção – composta por ele – intitulada “Teri ek hassi” (“Dê-me um sorriso”, em tradução livre), Muchhal criou um roteiro envolvendo a conhecida fórmula moça surda/rapaz ouvinte/paixão/língua de sinais. A música é cantada por Jubin Nautiyal; o filme, encenado pelo (ex-)casal de atores Nandish Sandhu e Rashmi Desai.

 
Palach Muchhal
 


Categoria: Clipes com sinais
País: Índia
Vídeo: “Teri ek hassi
Línguas: Hindi, Inglês e Indian Sign Language (ISL)
Site oficial: https://www.instagram.com/palash_muchhal


 
 

Let me hear again

O Let me hear again (Deixe-me ouvir novamente), um aplicativo para Android concebido por Sharon Baisil (Índia), conta, basicamente, com cinco funções diferentes:

(1) um dispositivo de reconhecimento de voz que identifica frases e palavras em mais de 70 idiomas e as traduz, em texto escrito, para a língua escolhida (com a opção talk back, que enuncia em voz alta o conteúdo digitado no aplicativo);

(2) um bloco de notas para armazenar falas e registros orais (imediatamente convertidos e arquivados em formato texto);

(3) um despertador vibratório, com alarme sonoro com mais de 100dB;

(4) um mecanismo para converter chamadas telefônicas (de voz) em texto;

(5) a função “anjo da guarda”, que percebe sons altos no ambiente e os comunica para o usuário.

Já eleito pelo MIT App Inventor como o aplicativo do mês, o Let me hear again surge como mais uma tecnologia para tornar um pouco mais acessível o dia-a-dia de pessoas surdas e com deficiência auditiva. Para fazer download do app, clique aqui. Abaixo, vídeo promocional.

 
Let me hear again
 


Categoria: Dicionários e Apps
País: Índia 
Línguas: Inglês
Site oficial: https://www.facebook.com/let.me.hear.again