Todas as manhãs

Categoria: Poesia em Língua de Sinais
País: Brasil
Poema: “Todas as manhãs
Línguas: Português e Língua de Sinais Brasileira (Libras/LSB)

O grito de resistência do povo negro, a reverberar nos textos da pesquisadora, professora e poetisa Conceição Evaristo, ganha amplitude em língua de sinais na tradução de seu poema “Todas as manhãs” (publicado no Cadernos Negros, vol. 21 – Poemas Afro-brasileiros). No vídeo produzido pela TV CES, a poesia é interpretada em Libras por Edinho Santos e Nayara Rodrigues, com tradução de Lívia Vilas Boas e Mirian Caxilé. Que a esperança, assim, reamanheça em nós.

 

 

Verbo ser

Categoria: Poesia em Língua de Sinais
País: Brasil
Poema: “Verbo ser
Línguas: Português e Língua de Sinais Brasileira (Libras/LSB)

O poema “Verbo ser”, de Carlos Drummond de Andrade, é apresentado em Libras por Júlia Ferreira (tradução de Lívia Vilas Boas e Mirian Caxilé). O vídeo é parte do projeto Tempo de Poesia, uma iniciativa levada a cabo pela TV CES (webtv ligada ao Centro de Educação para Surdos Rio Branco).

  

 

Canção do exílio

Categoria: Poesia em Língua de Sinais
País: Brasil
Poema: “Canção do exílio
Línguas: Português e Língua de Sinais Brasileira (Libras/LSB)

“Canção do exílio”, um dos mais célebres poemas da literatura lusófona do século XIX, dá voz à saudade de um escritor brasileiro em tempos de “exílio”, enaltecendo as belezas e os encantos naturais de nosso país (na poesia, o Brasil é referido como “lá”, uma vez que o autor vivia, quando da escrita do poema, na cidade de Coimbra, em Portugal). Escrito por Gonçalves Dias em redondilhas maiores (sete sílabas poéticas em cada frase), o texto traz à tona a verve nacionalista/indianista que marcou a primeira geração romântica em solo tupiniquim. Agora, para o público usuário da língua de sinais, uma tradução em Libras interpretada por Lívia Vilas Boas em um vídeo produzido pela TV CES.

 

 

Voz

Categoria: Poesia em Língua de Sinais
País: Brasil
Poema: “Voz
Línguas: Português e Língua de Sinais Brasileira (Libras/LSB)

Um belíssimo encontro da língua portuguesa com a língua de sinais acaba por formar este texto potente, poético, brilhante. O poema intitulado “Voz”, de Amanda Lioli e Catherine Moreira, é apresentado no programa Manos e Minas (TV Cultura), chamando a atenção para o direito à diferença: o direito de ser Surda.

 

 

Alone (Sozinho)

Categoria: Poesia em Língua de Sinais
País: Estados Unidos
Poema: “Alone” (“Sozinho”)
Línguas: Inglês e American Sign Language (ASL), legendas ocultas em Português (saiba como ativá-las)

O medo, a solidão, os tempos que parecem frios e sombrios: nada disso resiste ao amor, que sorrateiro surge e aquece o coração. Sinalizado em American Sign Language (ASL), o poema gestual “Alone” (“Sozinho”), de Daniel Durant, ator surdo estadunidense, faz brilhar o sol dentro de cada um. O vídeo conta com legendas que podem ser traduzidas para o Português – ative-as e saiba mais.