Uber para surdos

Categoria: Outros
País: Estados Unidos / Austrália
Línguas: Inglês, American Sign Language (ASL) e Australian Sign Language (Auslan)

No Brasil, não são raras as polêmicas em torno do Uber, um aplicativo de carona remunerada que – dia a dia – vem promovendo acirradas desavenças com taxistas. Seja pelo UberX (com preços de viagens mais acessíveis, em carros geralmente compactos e mais modestos) ou pelo UberBLACK (tido como o transporte padrão da marca, feito em sedãs pretos), o usuário pode saber – antes de entrar no veículo – a rota traçada até o ponto de destino, o valor cobrado pelo trajeto e as credenciais/avaliações do motorista. O pagamento, feito por cartão de crédito, ainda pode gerar bônus para os próximos deslocamentos. Contra a empresa, porém, alegam-se argumentos como a desregulamentação, a precarização do trabalho dos motoristas parceiros e o desrespeito às leis locais. Em meio ao fogo cruzado, entre argumentos contrários e favoráveis a sua atuação, o Uber vem criando estratégias para enfrentar protestos e angariar novos consumidores e parceiros mundo afora – entre essas estratégias, algumas miram os motoristas surdos. Com pequenas modificações, o aplicativo tenta se tornar mais acessível para eles: ao ser acionado, o motorista surdo recebe um aviso luminoso (com flashes) na tela de seu smartphone e a comunicação por meio de ligações/voz é desativada na interação com quem solicita a carona. O solicitante, assim, além de receber o aviso de que o motorista que o atenderá é surdo, terá disponível apenas mensagens de texto para conversar com ele (evitando-se contratempos). Por ora, esses recursos estão disponíveis somente em alguns países, como Austrália (clique aqui para ver o vídeo) e Estados Unidos (vídeo abaixo), mas – quem sabe – em breve chegarão ao Brasil. Entre vaias, pedradas e paralisações, a empresa ganha, com isso, novos motoristas, e entusiastas, surdos. [CulturaSurda.net]