Projeto Céu e Terra

Categoria: Dança
País: Brasil
Línguas: Português e Língua de Sinais Brasileira (Libras/LSB)

Por conta da síndrome de Arnold-Chiari (uma malformação rara e congênita do sistema nervoso central), Wilmara Marliére de Paula chegou a perder boa parte de sua audição – mas isso não foi o suficiente para fazer com que ela  abandonasse uma de suas grandes paixões, o balé. Enquanto sua perda auditiva se agravava, ainda na década de 1990, Wilmara começou a traçar diferentes estratégias para se manter na dança, experimentando a reverberação do som em diferentes materiais (como panelas de alumínio, placas de ferro galvanizado, tubos de metais etc.). Desses primeiros esforços surgiram os embriões do Projeto Céu e Terra, que em 1997 ganhou a sua primeira turma de crianças surdas em Belo Horizonte, Minas Gerais. “Na primeira experiência que tive, parecia que eu estava nascendo junto (…), eu percebi que os sons, para elas, eram vida“, diz a bailarina em matéria da TV Horizonte. Por meio das vibrações do som (e com um trabalho de estimulação auditiva), suas alunas entram em contato com a música, com os movimentos coreografados do balé e com toda a potência artística da dança. Após uma série de cirurgias, a audição de Wilmara foi recuperada, mas a vontade de dar continuidade à sua empreitada não esmoreceu. Hoje, quase vinte anos depois, mais de mil crianças já foram atendidas pelo projeto, que também passou a oferecer aulas de música para alunos cegos. Clique aqui para assistir a um pequeno vídeo sobre o projeto e aqui para assistir a trechos de uma apresentação do grupo.

 
Projeto Céu e Terra